• Luísa Valentini

Caldo Verde de Inhame


Esta é a primeira (esperamos de muitas) receitas que a nossa querida amiga Luísa Valentini, antropóloga, vegetariana e ítalo-paulista da gema vai postar aqui no Chic Pop. <3 <3 <3

Vamos por partes! A primeira receita é: caldo verde com inhame (que vou fazer hoje à noite).

Preliminares: Caldo verde é uma receita tão, digamos, vernacular, que fico inibida em definir quantidades, consistências etc. Dou algumas sugestões mas a textura e a proporção dos ingredientes fica a gosto seu. Atenção para: (1) não deixar a couve cozer excessivamente; (2) a couve diminui de tamanho, mas não tanto assim; cuidado para o seu caldo verde não virar um matagal subinhâmico; (3) o cogumelo é só uma participação especial, não é para ser a estrela do prato, basta um grande para cada duas pessoas.

Ingredientes:

- inhames

- couve (se quiser, coloque um pouco de agrião ou rúcula também para dar um tchans)

alho-poró ou alho

- cogumelos (shiitake ou champignons frescos ou secos)

- cominho

- pimenta branca

- louro

Ponha a quantidade de água que você acha conveniente para a sopa numa panela separada e leve ao fogo. Pode ser uma chaleira, fica mais prático. Trabalhe sempre que possível com água quente. Se sobrar você faz um chazinho ou limpa os utensílios de cozinha com a água quente.

Descasque inhames, de preferência médios para pequenos, pique-os o quanto sua paciência permitir (quanto menor, melhor; já que estamos em clima de economizar água, podemos também economizar gás). Pique também o alho poró se usá-lo, ou então descasque o alho e corte-o ao meio. Cubra-os com água numa boa caçarola ou caldeirão, acrescente uma folha de louro (duas só se for muuuuita sopa), salgue, e ponha no fogo baixo para eles cozinharem.

Lave as folhas. Se você gostar de crocância, deixe os talos, mas de todo modo corte essas folhas o mais finas que puder e reserve. Pique os cogumelos em pedaços pequenos (como você faria com um bacon).

Quando os inhames estiverem bem cozidos, pegue-os com uma escumadeira e coloque-os no liquidificador. Sugiro não colocar os dentes de alho no liquidificador para não ficar muito forte e também, claro, deixar a folha de louro intacta. Acrescente a quantidade suficiente de caldo para bater e bata até chegar na textura que quer: meio grossa, pedaçuda, fina, finíssima, você que sabe.

Volte essa mistura para a panela junto com o que restou de caldo e acrescente um pouco de água quente para ela ficar um pouco mais líquida (e passe já uma água no liquidificdor para sua vida não virar um inferno de inhame). Acrescente o cominho e a pimenta branca, e os cogumelos, se estiverem secos. Deixe levantar a fervura, sempre em fogo baixo e, agora, mexendo (senão pode grudar no fundo da panela ou formar uma crosta, mesmo que sua panela seja anti-aderente: mais água gasta na lavagem).

Essa fervura vai provavelmente ser bem discreta, repare se a sopa está inchando um pouco. Se os cogumelos forem frescos, coloque-os agora. Exercite então sua habilidade de avaliar quantidades e colocar a couve na sopa, mexendo sempre. Veja se conforme a couve cozinha essa sopa cresce muito (em geral sim), e só se precisar coloque mais água quente. Coloque um pouco de sal para a couve não ficar escura.

Fique de olho para a couve ainda estar crocante quando você desligar o fogo. Coloque o cominho e a pimenta branca, de preferência moídos na hora, direto na panela. Cuidado com esses ingredientes, porque em excesso eles deixam o prato amargo (no caso do cominho) ou indigesto (no caso da pimenta). Coloque um pouquinho, mexa a sopa na panela já fora do fogo e deixe descansar um minuto. Experimente e, se precisar, tempere um pouco mais.

Deixe a sopa descansar uns 3 minutos antes de ferver para a couve amaciar mais um pouco.

Passe um fio de azeite em cada prato e sirva com um pão gostoso.

----

(ps) O Chic Pop roubartilhou essa imagem do blog Wikilícias

#cultura #culinária #gastronomia

146 views