Search
  • Mariana Ruas

Seis Cartunistas Latino-Americanos que Você Precisa Conhecer


Quino e sua questionadora Mafalda alcançaram enorme popularidade no mundo e, embora as últimas histórias da menininha de oito anos tenham sido publicadas em 1973, certamente várias gerações – até as mais jovens – reconhecem tanto o criador quanto a sua criatura mais famosa.

O humor gráfico tem uma longa trajetória no mundo hispânico e, na atualidade, há vários ilustradores que se dedicam a retratar aspectos simples e complexos da vida cotidiana de sociedades e, também, dos indivíduos. Aí vai uma lista de seis cartunistas latino-americanos que você precisa conhecer:

1. Ricardo Liniers (Argentina)

Macanudo – palavra muito rio-platense que significa extraordinário, magnífico – é o trabalho do argentino Ricardo Liniers, leitor de Mafalda desde criança. Com uma gama de personagens que vão dos mais clássicos dos quadrinhos (como Henriqueta y Felini) aos mais surrealistas duendes, Liniers nos convida a rir de situações cotidianas e imaginárias, retratadas com muita leveza, um toque de lirismo e muitas metáforas. Suas tiras obedecem ao que ele gostaria de ver representado, pois não há como saber qual será a reação das pessoas ao seu trabalho, declarou em uma entrevista.

Publica diariamente no jornal La nación, desde 2002, e também no seu blog.

2. Alberto Montt (Chile - Equador)

Outro ilustrador que merece nossa atenção é Alberto Montt, chileno que viveu da infância ao começo da fase adulta no Equador. Desde 2006 publica no seu site, o Dosis Diarias, tiras que giram em torno da dualidade bem e mal, muitas vezes representada pelos personagens de Deus e do Diabo. Segundo o desenhista, esse tema nasceu ao observar o pensamento mágico alimentado na América Latina, fortemente influenciado pela religiosidade, que coloca o bem e o mal como entes absolutos. Montt é categórico ao considerar que essas noções são relativas.

Embora seu trabalho tenha um viés humorístico, não pretende que as pessoas riam do que ele faz. Considera que o humor é uma forma de oferecer um ponto de vista diferente sobre algo, além de uma ferramenta para suportar a realidade

3. Angel Boligán (Cuba)

O terceiro da lista é o cubano Angel Boligán. Nasceu em San Antonio de los Baños, considerada a vila do humor cubano e de onde saíram os melhores caricaturistas do país. Para ele, a caricatura é uma arma que aponta para o sorriso, mas mirando na cabeça. Talvez essa seja a melhor definição para as suas ilustrações que tratam de forma bastante direta a relação do homem moderno com o consumo.

No entanto, seus trabalhos deixam algo no ar, de forma que o observador seja levado a completar o significado da mensagem que ele quer passar. Para Boligán as formas e os desenhos tem a capacidade de manipular as pessoas, por isso o visual é tão utilizado para estimular o desejo do ser humano de ter cada vez mais.

4. Jorge Grosso (Colômbia)

Colombiano, pintor formado pela Universidad Nacional de Colombia, Jorge Grosso é um dos caricaturistas mais conhecidos de seu país. Famoso por suas críticas políticas e pela rigidez de seu desenho, Grosso considera que seu olho defeituoso sempre enxerga a injustiça, tema muito frequente em suas ilustrações. Afirmou, durante uma entrevista, que expressa em suas caricaturas o que as pessoas querem dizer e não podem. Em 2009, publicou The Audacity of the Smile, retrato bem humorado dos cem primeiros dias de Barack Obama – e de sua família – à frente da presidência dos Estados Unidos.

É possível encontrar grande parte de seu trabalho online em português, já que colabora desde 2010 com o jornal www.acheiusa.com

5. Jarúl Ortega (Santo Domingo)

E lá da caribenha Santo Domingo vem o próximo cartunista que você precisa conhecer. Jarúl Ortega publica no site Humor Carolo ilustrações gráficas muito coloridas e de apenas um quadro. Os temas, sempre com um matiz crítico, variam desde religião a abuso de poder. Para o ilustrador, não há uma intenção cômica em seu trabalho, embora algumas de suas tiras provoquem o riso do leitor.

6. Szoka

E, para provar que a Argentina está com tudo quando o assunto é o humor gráfico, finalizando a nossa lista mais um hermano ilustrador. Seu pseudónimo é Szoka e, sobre o autor, só se sabe o nome, Andrés así a secas. Com seu projeto de humor ácido Y, Viste Como Es, publica quase diariamente cenas curtas que representam situações da vida cotidiana de quase qualquer pessoa (y, viste como es...) sobre o amor, a tecnologia e a política. Na Argentina é considerado como um dos ilustradores que fazem parte de uma nova leva de “piadas bobas ilustradas” que, a primeira vista, parecem ser inteligentes, mas revelam as obsessões da era tecnológica e a falta de inteligência moderna.

E se você está em Viçosa poderá conhecer um pouco da obra desses seis cartunistas ao vivo, em papel e à cores! Entre os dias 21/09 e 02/10 a Estação Cultural da Universidade Federal de Viçosa exibe a 1a Mostra de Quadrinhos Latinoamericanos, um evento promovido pelo projeto América Latina em Cena.

Mais informações no telefone (31) 3899-3233 ou na página https://www.facebook.com/americalatinaemcena

__________

Mariana Ruas é professora de espanhol, mãe de cachorro e iniciante na arte de cuidar de plantas. Desorienta vários alunos em diferentes projetos, enquanto prepara aulas, provas, corrige trabalhos e assiste só mais um episódio daquela(s) série(s) favorita(s).

#convidado #arte #cultura

1,137 views

Bossa Nova: Nostalgia de um Futuro Possível

24/05/2019

1/10
Please reload